terça-feira, 17 de setembro de 2013

Tudo passa, tudo passará!!!

"Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu." Eclesiastes 3:1.

Tudo na vida passa, essa é uma grande verdade. Por isso precisamos viver muito bem cada dia, não desperdiçando nenhum minuto, fazendo o melhor possível aquilo que é nosso dever; aproveitando o máximo possível o tempo bom e suportando com paciência, sabedoria, o tempo difícil, pois ambos passam, o tempo bom e o tempo difícil. Por mais que tenhamos certeza que tudo passa, muitas vezes ficamos desanimados nas horas difíceis. Gosto muito do texto do capítulo três de Eclesiastes que diz: "Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu. Há tempo de nascer, e tempo de morrer; tempo de plantar, e tempo de arrancar o que se plantou; Tempo de matar, e tempo de curar; tempo de derrubar, e tempo de edificar; Tempo de chorar, e tempo de rir; tempo de prantear, e tempo de dançar; Tempo de espalhar pedras, e tempo de ajuntar pedras; tempo de abraçar, e tempo de afastar-se de abraçar; Tempo de buscar, e tempo de perder; tempo de guardar, e tempo de lançar fora; Tempo de rasgar, e tempo de coser; tempo de estar calado, e tempo de falar; Tempo de amar, e tempo de odiar; tempo de guerra, e tempo de paz.". É impressionante a narrativa, deixa muito claro que há tempo para todas as coisas debaixo do céu. Há o tempo de abraçar, nesse tempo devemos abrir nossos braços e abraçar com amor, muito carinho, chegará o tempo de não abraçar, de cerrar os braços, tempo triste, da solidão, do desapego, mas do crescimento interior, próprio. É triste esse tempo, mas ele existe, é necessário, útil. Tempo de plantar e tempo de arrancar o que se plantou. Temos no quintal de casa um pé de mamão que está doente e precisa ser arrancado. Meu irmão Jairo, outro dia pegando um mamão que estava amadurecendo disse: "- É, o seu tempo acabou, mas você já nos serviu muito, nos deu muitos frutos, docinhos, obrigado". É triste? Não, não deveria ser, deveria ser apenas reconhecido como o tempo do fim, da missão cumprida. O pastor David Paul Yonggi Cho, da Coréia do Sul diz: "O sonho, o sofrimento e a benção são três irmãos que sempre operam juntos". Não há como separar um do outro. Somos muito apegados às coisas, não deveríamos ser. Temos que aprender a arte do desapego, devemos nos desapegar daquilo que não está mais no tempo de acontecer em nossas vidas. Fácil não é, porém, é necessário, porque senão não viveremos bem. Precisamos aceitar o fato, não resistir a ele, para vivermos melhor cada momento de nossas vidas. Nas horas de dor muito grande, vindas por causa de tristes acontecimentos, a vida passa a ser um fardo insuportável e intolerável. Apenas com muita graça de Deus sobrevivemos às nossas dores e lutas. Tenho aprendido a depender de Deus como nunca antes. Aprendi a orar o Pai Nosso, declarando minha total confiança no Senhor que cuida de nós, supre nossas necessidades diárias, acalanta nossos corações, sara nossas feridas, julga a nossa causa, perdoa nossos pecados, nos livra do mal, nos renova, fortalece para continuarmos a jornada da vida, no palco da história. A dor nos faz totalmente conscientes da nossa limitação, inteiramente dependentes do Eterno, por isso se torna boa, quebrando a nossa arrogância. Assim, vamos vivendo cada dia, alternando dias bons e dias ruins, um e outro são úteis. Ficarão as boas lembranças do tempo bom e o que aprendemos do tempo ruim. Em tudo podemos dar graças ao Altíssimo Deus. Obrigada, Senhor! 

"Imita no sofrimento, as árvores que padecem: Quando feridas, podadas, com mais vigor reflorescem." Luiz Otávio.


Texto publicado hoje no Jornal de Assis.

Obrigada, Senhor!!!

Sem comentários:

Enviar um comentário