domingo, 24 de janeiro de 2021

A querida Laurinha!

“Se você tem um cachorro, tem um amigo e quanto mais pobre fica, melhor ele será.” Will Rogers


Ganhei, no ano passado (2020) da irmã e amiga Eliana Campos, uma cachorrinha muito linda, a Laurinha. Quando o amor toca nosso coração ficamos como bobos. É assim que fiquei com a Laurinha. Ela veio para completar minha alegria em casa, com os demais cachorros, Yuri e Billy. Mas, logo entrou no cio, o que eu não esperava, pois não estava preparada para receber filhotes em casa. Cruzou com o Yuri e teve 3 filhotes, um mais bonito que o outro. O inesperado tornou-se em festa. Cada dia era uma novidade. Aprenderem a andar, dar grunhidos, depois latidos, e assim foi, até que todos foram doados. Lamentei profundamente ter que dar todos os filhotes, pois por mim, ficaria em casa com eles. Quem diria, como as coisas mudam! Antigamente, não gostava de ter cachorros em casa, porque faziam muita sujeira. Hoje, a sujeira deles é limpa com gosto. Sou feliz por ter a Laurinha comigo. Agradeço à Eliana pela doação e ao Pai pela possibilidade de ter. Obrigada, Senhor!!! 

"Vós, todos os animais do campo, todos os animais dos bosques, vinde comer." Isaías 56:9.

Foto: Minha autoria. Laurinha com filhotes mamando.

Feliz 2021?!!!

 


Pelo calendário entramos no ano novo, porém, sabemos muito bem que nada é novo, tudo continua do mesmo jeito. A mudança de ano é uma grata ilusão. Por um momento festejamos e nos enganamos pensando que tudo é novo. Não sou contra isso, ao contrário, festejo de todo o meu coração a chegada de um ano novo, principalmente porque de uma forma ou de outra vencemos o ano que passou, superando dificuldades, vencendo batalhas. Porém, ao olhar para a realidade, nua e crua, muitas vezes nos abatemos, o que é justificável. Num tempo de pandemia, de mortes, de dificuldades incontáveis, não há como ficar de boca aberta dando risada. Como sorrir, fazendo de conta que está tudo bem, se quase duzentas mil pessoas já morreram no nosso país? Que o número dos desempregados está aumentando consideravelmente? Só poderia fazer isso se eu fosse uma alienada, sem senso algum de solidariedade e consideração pelos que sofrem. Porém, não posso me deixar levar pela tristeza e pelo abatimento. Como cristã sincera, devo ter a Bíblia Sagrada, como meu livro de regra e fé e ela me leva a perguntar: “Por que estás abatida, ó minha alma, e por que te perturbas dentro de mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei, o qual é a salvação da minha face, e o meu Deus. ” (Salmos 42.11). Em poucas palavras a Bíblia me chama à fé, à esperança. Posso até chorar, porém, não posso me abater, não posso entregar os pontos, devo ficar firme, na esperança de dias melhores. Apesar de todas as polêmicas, há esperança nas vacinas que estão chegando, há sobretudo, a fé no Deus que está acima de todas as coisas, inclusive muito acima de qualquer vírus, por pior que seja, um coronavírus. Há a certeza de que tudo vai passar, porque sem sombra de dúvida tudo passa. Por isso, dou graças ao Pai. Obrigada, Senhor!!! E, com o coração contrito eu oro: Ajuda, Senhor!!! 

                                                     Texto publicado no Jornal de Assis, Assis, SP, dia 06/01/2021. 

Obrigada Senhor!!!

Foto: Pesquisa Google.

sexta-feira, 22 de janeiro de 2021

Esperança ou morte!!!

 “Ó minha alma, espera somente em Deus, porque dele vem a minha esperança. “ (Salmos 62:5). 




Nesse tempo de trevas, que estamos vivendo, não temos outra alternativa a não ser esperar que dias melhores chegarão, que tudo vai passar, como tudo de fato, passa na vida. As vacinas são o assunto em pauta e reforçam nossa esperança. Porém, acima da vacina nossa esperança deve estar em Deus, que nos sustenta, que nos renova, que nos cura, que nos tira da escuridão para a sua maravilhosa luz. Na sua mais profunda agonia, gemendo, disse Jó: “Onde, pois, estaria agora a minha esperança? Sim, a minha esperança, quem a poderá ver?” (Jó 17:15). O salmista responde: “Ó minha alma, espera somente em Deus, porque dele vem a minha esperança. “ (Salmos 62:5). Assim como o salmista nós devemos esperar em Deus, só Ele está acima de tudo e de todas as coisas. Creio que o surgimento da vacina é resultado da oração de cristãos sinceros, que choraram, clamando ao Pai por cura para toda a humanidade. A sabedoria humana por si só é incapaz da descoberta de cura. A cura vem dos céus. É Deus que concede uma unção de cura para os médicos que nos assistem e prescrevem o remédio a ser tomado. Se não houver uma unção de cura no médico, não haverá cura garantida. O remédio também tem que ter uma unção de cura, e isso explica as muitas vezes que tomamos remédios e não fomos curados. Devemos orar antes de cada consulta ao médico, antes de tomar remédios, pois médico e remédio sem Deus não funciona. Oro de todo o meu coração, para o Espírito Santo nos conceder esperança hoje, pois o “fim da esperança é o começo da morte ”, disse Charles de Gaulle. Se não tivermos esperança, já morremos em vida. Ajuda, Senhor!!!

Texto publicado no Jornal de Assis, Assis, SP, no dia 18 de janeiro de 2021.

Obrigada, Senhor!!!

Foto: Pesquisa Google.

Conhecimento e ignorância!

"A sabedoria é a coisa principal; adquire pois a sabedoria, emprega tudo o que possuis na aquisição de entendimento." Provérbios 4:7



Todos nós somos ignorantes em alguma coisa. Por exemplo, sou ignorante em música e muitas outras coisas. É impossível saber tudo. Será que não temos consciência disso? Eu tinha um irmão, o Jairo, já falecido, que era sabedor de muitas coisas. Eu e muitas pessoas o admirávamos bastante. Meu tio Alair disse que nunca viu uma pessoa tão inteligente, com tanto conhecimento como o Jairo. Porém, tinha falhas e não sabia tudo, com certeza. Devemos ter consciência das nossas limitações e não nos julgarmos sabedores de tudo, nos orgulharmos, dando vazão à soberba, à vanglória; porque por mais que saibamos ainda sabemos pouco. Há um universo acima de nós e desconhecemos quase tudo dele, da terra e da humanidade. O ator e produtor de cinema Orson Welles disse algo que pode ser verdade: “muitas pessoas são educadas demais para falar com a boca cheia, mas não se preocupam em fazê-lo com a cabeça vazia”. Isso é o máximo da ignorância. Lamentável. Um dia, quando eu era bem jovem, conversando com um professor, ele disse que o Leonel Brizola, ex-governador do Rio de Janeiro, era um caudilho. Eu não sabia o que era caudilho, o que significava, nunca tinha ouvido ou lido essa palavra, pensei que era um elogio, concordei com ele e disse que o Brizola era excelente, que gostava muito dele, etc. O professor ficou bem quieto e não falou nada. Foi de uma bondade incrível. Depois, eu soube o que era caudilho: um ditador. Fiquei com tanta vergonha que me serviu de grande lição. O problema não é não saber, não conhecer. É fazer-se de entendido em tudo. Isso é muito feio. Querer saber tudo, querer entender de tudo, querer se fazer superior ao outro, é uma prova cabal da nossa ignorância. Precisamos mesmo é de muita sabedoria. Precisamos buscar a sabedoria, porque “a sabedoria é a coisa principal” (Provérbios 4:7a). Oro, com toda a minha alma, para Deus nos dar sabedoria, a fim de não temos a mente vazia, porque é menos mal falar com a boca cheia do que com a cabeça vazia. Ajuda, Senhor!!!


Texto publicado no Jornal de Assis, na quarta-feira, 13 de janeiro de 2021.

Obrigada, Senhor!!!


Foto: Pesquisa Google.