quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

Patrimônio interno!!!


Vivemos em uma sociedade capitalista onde você vale pela qualidade e quantidade do ter e não pelo que você é: um ser. Quanto mais você tem, mais você vale. A vantagem do ter material é ser socialmente respeitado, reverenciado, atendido infinitamente melhor, porque é alguém importante, que tem muitos bens materiais. Esta sociedade é malvada, não gosto dela, a considero "capetalista". Mas o que realmente vale a pena, que dá sentido à vida e de fato, nos garante a importância de uma existência, é o nosso patrimônio interno. Quem eu sou? O quê tenho no meu interior? O quanto paguei por ele, com meu conhecimento, com minhas lutas, com minhas dificuldades, com meu emocional que foi ferido? Somos tolos, supervalorizamos o ter e caímos na tentação de nos julgarmos pelos mesmos critérios da sociedade pecaminosa. Temos que aprender a olhar para nós mesmos, para nosso interior, ver a qualidade e quantidade dele, trabalhar para que sejamos ricos internamente e não externamente. Óbvio, que não sou contra o enriquecimento lícito, legitimo, honesto do ser humano, pois a Bíblia diz que é Deus quem dá ao homem o poder de adquirir riquezas (Eclesiastes 5. 19), sou radicalmente contra a valorização do ser humano pela quantidade de bens que ele tem. Isso é ridículo. Um homem cheio de bens pode ser um carrasco. E quanto vale um carrasco? O valor de uma pessoa está no ser. O ser é interno, não externo. As pessoas não podem ver o que temos dentro de nós e nem nos valorizar por isso. Não precisamos, não devemos esperar, que nos valorizem pelo que somos. Basta que nós mesmos o façamos e sejamos felizes pelo tanto que adquirimos. Dentro de nós temos tudo e todos, é o nosso capital interior, afetivo, espiritual, que só nós e Deus conhecemos. O homem é um ser imensurável, sem preço, invendável. Ter ou não ter, não importa, o importante é Ser. O cientista Albert Einstein disse: "Procure ser uma pessoa de valor, em vez de procurar ser uma pessoa de sucesso.O sucesso é conseqüência.". Mais ainda, somos a imagem e semelhança de Deus ("E criou Deus o homem à sua imagem: à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou." Gn 1: 27). Como tal devemos viver e sentir. Nossos bens não devem ser nosso referencial, mas sim nossas ações, nosso modo de viver e conviver. Só podemos exercer a semelhança com Deus através de um espírito submisso ao Espírito Santo e uma humanidade subjugada ao senhorio de Cristo. Oro para Deus nos ajudar a não vivermos segundo o mundo, mas segundo o Reino de Deus. Ajuda, Senhor! 

Texto publicado no Jornal de Assis no dia 21 de janeiro de 2015.
Obrigada, Senhor!

Sem comentários:

Enviar um comentário